Google+ Followers

domingo, 1 de dezembro de 2013

A resolução

Numa tarde dessas, Serafim resolveu falar comigo !
E o infeliz do Serafim logo pergunta : " O que faço com um amor mal resolvido ? "
Confesso que minha resposta foi um pouco chula : " Resolva-o ! "
Acho que o moço ficou intrigado e me perguntou e ao mesmo tempo desabafou : " Como?Sempre acho que posso dá mais uma chance .Mas não à figura, a mim mesmo uma chance de ficar correndo atrás de quem não me merece."
E mais uma vez responde-o com a mesma resposta chula de antes , mas com uma citação de Paulo Coelho , pra completar  e me mostrar entendida do assunto (porque mal sabia ele, que eu não sabia como resolver ) : "então resolva-o dentro de você ...Paulo Coelho diz : " se tá escrito puxe, não adianta empurrar "... E o pobre moço estava a insistir por uma resposta que eu não poderia dar , pelo fato que dependia dele e enfatizou que são 2 anos de amor mal resolvido e não sabendo mais o que dizer , lhe disse mesmo assim : "Datas meu caro, oq são datas ? quando não é pra ser não é , nem em 1 ano e nem em 100 anos ! " Ah pessoas e se pensam que o desabafo acabou , NÃO, não acabou : " To fudido não quero mais sentir isso mas sempre acabo voltando atrás da decisão e correndo pros pés dela por mais que tenha encontrado pessoas fantasticas por mais que tente conhecer e me envolver com gente bacana sempre essa porra volta " ... e eu pensei por um minuto e falei pra ele definitivamente : "Isso não é amor, não é ! esquecerás ela , quando cê gostar docê primeiro !

E o moço Serafim foi embora ... Mas o meu definitivamente não era definido, gostaria ter lhe dito que o que nos faz sofrer nos serve de aprendizado , e que ele não tentasse esquecê-la porque o amor não correspondido é o que dura , mas que ele possa permitir-se ser feliz, conhecer outras pessoas e que ele entendesse que ele irá se sentir mais forte quando encontrar alguém que o ame de verdade ! 


Como fica forte uma pessoa quando está segura de ser amada! "
Sigmund Freud

Nenhum comentário:

Postar um comentário